O que é onicomicose
Avalie este post

Pode não parecer, mas as unhas precisam dos nossos cuidados constantes, pois elas estão vulneráveis a fungos e bactérias. Uma das principais doenças a afetar as unhas são as infecções fúngicas, também denominada onicomicose. Essa doença atinge cerca de 20% da população mundial. No geral, envolve mais de uma unha, tendo maior incidência nos pés, pois eles estão mais expostos à sujeira e à umidade. Basicamente, a onicomicose é o que chamamos de “micose de unhas”.

Principais tipos de onicomicose

Espessamento

Um paciente com espessamento apresenta unhas mais duras e grossas e, na maioria das vezes, elas também escurecem. Nem sempre dói, mas pode acontecer. O aspecto das unhas é grosso e muitos profissionais a chamam de “unha de gavião”, ou “unha de telha”.

Vale lembrar que nem todas as unhas que apresentam essas características estão com algum tipo de micose. O uso de sapatos apertados por muitos anos é uma das principais causas para o espessamento.

Descolamento da borda livre

É uma das formas de onicomicose mais frequente, em que as unhas se descola, geralmente pelos cantos. Todo o espaço da unha fica oco, podendo ou não acumular restos de queratina e de bactérias, além dos fungos. O aspecto é amarelado e esbranquiçado.

Assim como no espessamento, nem toda unha que sofre descolamento está com micose. O descolamento costuma ocorrer pelo trauma de unhas compridas demais ou em pessoas que praticam exercícios de impacto, como corrida, futebol ou tênis.

Leuconíqua

Aquelas manchas brancas que aparecem na superfície da unha são chamadas de leuconiquia. Pode significar o início de uma micose e pode decorrer do envelhecimento dos esmaltes usados nas unhas.

Paroníqua

A paroníqua, mais conhecida como “unheiro” é a contaminação das unhas através da Cândida, um tipo famoso de fungo. Ele é considerado um fungo “oportunista”, pois ajuda a piorar o quadro, mas não é o único culpado pelo problema. Os primeiros sintomas são inflamação, dor e vermelhidão da pele ao redor das unhas. Pode se tornar um problema crônico e levar à perda da cutícula, já que dificulta o seu crescimento.

A inflamação pode ceder com o tempo, aumentando e endurecendo a pele da região, bem como sua espessura. Com isso, o formato da unha também sofre uma pequena alteração, crescendo ondulada e de cor diferente.

Além de ser causada por fungos e bactérias, esse tipo de onicomicose também é provocada por umidade constante das mãos e costuma aparecer em indivíduos que mexem muito com água ou produtos de limpeza.

Prevenção da onicomicose

A melhor maneira de prevenir a doença é evitar andar descalço, não usar o mesmo sapato diariamente/semanalmente, ter o seu próprio kit de unha e evitar compartilhá-lo com terceiros, além de manter os pés e mãos limpos e sempre secos.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico depende da avaliação de um dermatologista, além da análise de material no laboratório, responsável pela identificação do tipo de fungo.

O tratamento geralmente envolve antifúngicos orais e/ou tópicos. A escolha entre eles depende do número de unhas acometidas, bem como das características do paciente. Vale ressaltar que o tratamento pode ser demorado, mas a melhora clínica também é muito grande.

É essencial procurar um profissional qualificado para tratar a onicomicose, indiferente do seu tipo. Na Vivace Saúde do Homem, você tem a especialidade de dermatologista no Rio de Janeiro à sua disposição.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

2014 © Copyright - Vivace.Todos os direitos Reservados